O Grupo 1 Edição Digital Grupo 1 Mobile Fale Conosco
Receba nossas notícias

26/05/2017

Caxingui tem área verde sob ameaça

Publicado em 01/04/2017

Parte de uma área verde localizada no bairro do Caxingui corre o risco de desaparecer

Condomínio financia jardim vertical

Parte de uma área verde localizada no bairro do Caxingui corre o risco de desaparecer. No terreno onde estava previsto somente um parque linear, a Prefeitura de São Paulo autorizou, no final do ano passado, a construção de três edifícios voltados à moradia popular. Diante da revolta dos moradores do entorno, o Ministério Público Estadual (MPE) abriu inquérito para verificar se houve crime ambiental.

A polêmica que envolve o terreno de aproximadamente 35 mil metros quadrados, situado na Avenida Professor Francisco Morato, começou em 2015, quando uma construtora protocolou um projeto de moradia social à administração municipal, conforme as normas da antiga Lei de Uso e Ocupação do Solo (zoneamento), que vigorava desde 2004.

Porém, em 2016 um novo zoneamento foi aprovado pela Câmara Municipal, que classificou o terreno como área de preservação ambiental. A mudança foi proposta pelos moradores da vizinhança, que também conseguiram a aprovação do projeto Parque Linear Caxingui. Por outro lado, o proprietário da área verde afirma que é possível construir empreendimentos no local mesmo com a nova configuração urbanística.

A discussão sobre o que seria permitido no terreno aumentou no último mês da gestão Fernando Haddad. Enquanto um laudo técnico da Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente indicava não ser recomendável construir no espaço, o empreendimento foi liberado no dia 31 de dezembro por meio de uma publicação no “Diário Oficial da Cidade”.

Em entrevista ao jornal “Folha de S. Paulo”, a ex-secretária municipal de Licenciamentos Paula Motta Lara afirmou que “houve um problema de sistema e muitas autorizações acabaram publicadas no último dia do ano”. Por sua vez, a gestão João Doria diz que a liberação do empreendimento na área verde será mantida.

A construtora afirma que os três edifícios, com altura entre 15 e 19 andares, serão voltados ao público de classe média e não vão impedir a implantação do parque linear. A empresa também diz que metade da área foi repassada ao Município.

Apesar de a autorização ao empreendimento ser mantida, os moradores do bairro querem que o terreno seja totalmente destinado à implantação do Parque Linear Caxingui. Na área verde, além de exemplares de árvores da Mata Atlântica, há um córrego limpo com pequenos peixes. Segundo a vizinhança, o ecossistema local também atrai uma variedade de aves e pequenos mamíferos como preás.

 

FECHAR

 
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
 
         
     


Gastronomia

Colunistas

Tecnologia