O Grupo 1 Edição Digital Grupo 1 Mobile Fale Conosco
Receba nossas notícias

23/08/2017

Gestão Doria apresenta prefeitos regionais de Pinheiros, Butantã, Santo Amaro e Lapa

Publicado em 02/12/2016

A partir de 2017, subprefeituras ganharão status de “prefeituras regionais”

Aloísio Silva Júnior, Juliana Natrielli, Paulo Mathias, Fernanda de Luca, Elini Jaudy e Leonardo Marques / G1JApós anunciar seu secretariado, a equipe do prefeito eleito João Doria apresentou nesta quinta-feira (1º) os futuros administradores das subprefeituras, que a partir de 2017 passarão a ser chamadas de prefeituras regionais. A apresentação dos novos gestores foi realizada no complexo empresarial World Trade Center, na Avenida das Nações Unidas, zona sul.

Até o anúncio oficial, a maioria dos nomes escolhidos para as administrações locais era mantida sob sigilo, apesar de alguns deles já terem vazado à imprensa antes do evento. Durante a campanha eleitoral, João Doria afirmou que os novos gestores regionais teriam como principais características serem moradores da região e jovens empresários.

Autonomia para diálogos e decisões

O administrador Paulo Mathias foi indicado pela equipe de transição de governo como prefeito regional de Pinheiros. Ele iniciou a carreira pública em 2009, acompanhando Geraldo Alckmin quando o atual governador ocupava o cargo de secretário estadual de Desenvolvimento Econômico. Depois, foi presidente da Juventude do PSDB, formou-se em Gestão Pública e foi coordenador do Escola da Família, programa de bolsa de estudos para o ensino superior.

“A expectativa no cargo é a melhor possível, pois temos uma região estruturada em comparação a outras da cidade. Será um desafio grande ouvir as pessoas que moram aqui há muitos anos”, afirma Mathias, que mora no Jardim Europa desde 1998 e vai se mudar para o Itaim Bibi. “Sou vizinho do prefeito eleito; provavelmente serei o que vai receber mais ligações dele”, comenta o administrador, que foi um dos coordenadores da campanha de João Doria.

Quanto aos principais desafios em Pinheiros, Paulo Mathias afirma que o novo modelo de prefeituras regionais permitirá mais autonomia para diálogos e decisões, inclusive em temas polêmicos como o Carnaval de Rua, marcado para fevereiro. “Será um período em que vamos buscar maior segurança e promover uma campanha de limpeza, tanto pelo poder público quanto pelos foliões, além da organização”, afirma ele, que no mesmo dia em que visitou a Gazeta de Pinheiros encontraria a subprefeita Harmi Takiya para tratar de temas da transição administrativa.

Na visita ao Grupo 1 de Jornais (Gazeta de Pinheiros, Jornal do Butantã, Morumbi News, Tribuna de Santo Amaro e São Paulo News), o futuro prefeito regional de Pinheiros esteve acompanhado de sua equipe de assessores, formada por Fernanda de Luca, Aloísio Silva Júnior, Elini Jaudy, Juliana Natrielli e Leonardo Marques.

Paulo Vitor Sapienza / DivulgaçãoFoco nas pessoas e integração

Anunciado nesta semana por João Doria como prefeito regional do Butantã, Paulo Vitor Sapienza pretende aproximar a comunidade da administração.

“Será criado um canal de diálogo permanente entre movimentos sociais e lideranças de bairros”, afirmou o jornalista José Cassio, participante da comunidade e integrante de inúmeras associações.

Primo do deputado estadual Vitor Sapienza, o novo prefeito regional é morador e membro de uma das famílias mais antigas do Butantã. Tão logo foi anunciado, ele ligou para a subprefeitura para agendar a transição.

“A ideia neste início é manter os serviços básicos de manutenção e limpeza, com foco na prevenção aos transtornos causados pelas chuvas de verão e principalmente no combate ao mosquito da dengue. Na sequência, daremos encaminhamento aos diversos projetos que serão implementados, sempre com a efetiva colaboração dos moradores”, afirma Sapienza.

 

Roberto Arantes Filho / DivulgaçãoExperiência em Santo Amaro

Em Santo Amaro, o prefeito regional será Roberto Arantes Filho, 36 anos, bacharel em Direito pela Universidade Ibirapuera, com MBA na FIA-USP. Nascido e criado em Santo Amaro, Arantes Filho conhece bem a realidade e os problemas da região, onde reside até hoje. Atualmente, trabalha na Secretaria de Transportes Metropolitanos do Governo do Estado. Foi chefe de gabinete da pasta – que administra Metrô, CPTM e EMTU – e coordenador de Relações Institucionais, atendendo projetos das prefeituras da Região Metropolitana de São Paulo.

Como prefeito regional de Santo Amaro, Arantes Filho tem como meta a zeladoria e a retomada de projetos para a melhoria da qualidade de vida dos moradores. “O diálogo com a sociedade santamarense é primordial para uma gestão pública eficiente. Por isso, as portas da Prefeitura Regional estarão sempre abertas”, afirma ele.

Carlos Fernandes   / DivulgaçãoDiálogo com a comunidade

Na Lapa, Carlos Fernandes volta a comandar a regional, onde esteve durante a gestão Gilberto Kassab. “É com muita satisfação que aceitei o convite do prefeito eleito João Doria para assumir a Prefeitura Regional. Quando estive à frente do órgão, estávamos desenvolvendo ações importantes de gestão e zeladoria, que já surtiam bons resultados. Melhoramos o diálogo com a comunidade e implementamos uma logística de acompanhamento de demandas que acelerou a resolução de problemas. Na questão das árvores, realizamos o monitoramento preventivo de cerca de 12 mil exemplares, o que reduziu significativamente a queda de árvores e melhorou a poda preventiva. E esses são apenas dois exemplos de muitas benfeitorias que acabaram se perdendo nos últimos quatro anos de gestão petista. Agora é arrumar a casa e reorganizar as coisas. De imediato, é fundamental organizar uma ação ostensiva para a prevenção de enchentes durante as chuvas de verão. Vamos vistoriar galerias, bueiros e bocas de lobo e providenciar limpezas urgentes. Contamos com a população como aliada. O canal de diálogo será sempre aberto e transparente”, afirmou.

Descentralização

No próximo ano também será iniciada a descentralização de alguns serviços municipais hoje concentrados nas secretarias. O objetivo da gestão João Doria é proporcionar mais autonomia aos governos locais, mudança que a ex-prefeita Marta Suplicy almejava quando transformou as antigas administrações regionais em subprefeituras.

Até o início dos anos 2000, obras de impacto limitado aos bairros e algumas atribuições de pastas como a de Educação, do Verde e do Meio Ambiente e de Assistência Social foram transferidas às regionais. Ao longo das gestões seguintes, porém, as administrações tiveram esse papel descaracterizado e se limitaram à função de zeladoria.

Em 2017, a reestruturação das administrações locais será realizada pelo vice-prefeito Bruno Covas, que vai comandar a Secretaria das Prefeituras Regionais, pasta municipal que substitui a Secretaria de Coordenação das Subprefeituras. Para assumir ambas as funções, ele se licenciará do cargo de deputado federal pelo PSDB. 

FECHAR

 
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
 
         
     


Gastronomia

Colunistas

Tecnologia