O Grupo 1 Edição Digital Grupo 1 Mobile Fale Conosco
Receba nossas notícias

17/10/2017

Linhas 5 e 17 do Metrô vão à leilão em julho

Publicado em 08/06/2017

Estado afirma que medida tem o objetivo de reduzir custos em meio à recessão econômica do País / Reprodução O leilão para a concessão das linhas 5 - Lilás e 17 - Ouro do Metrô será realizado no dia 4 de julho, na Bovespa. A iniciativa do Governo do Estado tem o objetivo de reduzir os custos em meio à recessão econômica do País. Ambos os ramais ficarão sob a administração da mesma concessionária, que será remunerada por meio de uma outorga, com direito a uma parte da tarifa paga pelos usuários do sistema.

Hoje, o único ramal sobre trilhos operado pela iniciativa privada na capital é a Linha 4 - Amarela, que tem como concessionária a ViaQuatro. A empresa é remunerada pelo Estado conforme a demanda de passageiros, e não por meio da tarifa, como ocorre com o Metrô.

Porém, em outubro do ano passado, a gestão Geraldo Alckmin precisou repassar R$ 135,9 milhões à empresa em virtude de atrasos no reembolso. A concessão do Estado à ViaQuatro tem validade de 30 anos. A Linha 4 - Amarela (Butantã – Luz) foi inaugurada em 2010.

Linha 17

Segundo previsão da Secretaria dos Transportes Metropolitanos, os testes da Linha 17 - Ouro devem começar em 2018, no trecho entre as estações Congonhas e Morumbi, onde haverá conexão com a Linha 9 - Esmeralda da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos). O ramal é construído no sistema de monotrilho, com trens de média capacidade que circularão por vias elevadas.

Previsto inicialmente para a Copa do Mundo de 2014, o ramal teve seu último revés no andamento das obras no início do ano passado. O trecho das estações Campo Belo, Vila Cordeiro e Chucri Zaidan foi paralisado por problemas de financiamento entre o Governo do Estado e as empreiteiras Andrade Gutierrez e CR Almeida. Em junho, os trabalhos foram retomados pelo consórcio TIDP, responsável por outra parte do ramal. 

O outro trecho, que não teve as obras interrompidas, é composto pelas estações Congonhas, Jardim Aeroporto, Brooklin Paulista e Vereador José Diniz. A Linha 17 - Ouro é dividida em quatro contratos: dois para as estações, um para o Pátio de Manobras Águas Espraiadas e um para a instalação de vigas, trens e sistemas de operação.

Já o prolongamento do ramal até o bairro do Morumbi, a partir da Marginal Pinheiros, deve ser viabilizado somente em 2019. Em agosto de 2015, o governador Geraldo Alckmin suspendeu o início da implantação dessa etapa em virtude da crise econômica, de dificuldades nas desapropriações e de impasses na obtenção de emissões de licença ambiental pela Prefeitura.

Segundo a gestão Alckmin, diante do novo cenário, as obras da segunda fase devem começar até o final de 2017 e durar 30 meses. Essa etapa inclui as estações Panamby, Américo Maurano, Paraisópolis e São Paulo-Morumbi, onde haverá conexão com a Linha 4 - Amarela, no cruzamento das avenidas Professor Francisco Morato e Jorge João Saad.

Linha 5

Inaugurada em 2002, a Linha 5 - Lilás funcionava até 2013 entre as estações Capão Redondo e Largo 13. Em 2014, foi entregue a primeira parada do projeto de extensão, a Adolfo Pinheiro. Quando concluída, a continuação do ramal permitirá baldeações na Linha 2 - Verde pela Chácara Klabin e na Linha 1- Azul pela Estação Santa Cruz.

A estimativa do Governo do Estado é de entregar três delas em julho e as demais até dezembro. O anúncio foi feito pelo governador Geraldo Alckmin em vistoria realizada na Estação Brooklin, em fevereiro.

Em sua campanha ao Governo do Estado em 2010, Geraldo Alckmin anunciou a conclusão do prolongamento do ramal até o bairro da Chácara Klabin para 2014. Segundo o governador, os atrasos foram causados por problemas com licenças ambientais e desapropriações.

FECHAR

 
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
 
         
     


Gastronomia

Colunistas

Tecnologia