O Grupo 1 Edição Digital Grupo 1 Mobile Fale Conosco
Receba nossas notícias

25/07/2017

Prefeitura aumenta restrição a motos na Marginal Pinheiros

Publicado em 04/05/2017

Dados da PM mostram que 367 vítimas foram atendidas nas marginais ao longo dos meses de janeiro, fevereiro e março deste ano

Segundo PM, 78% das 367 vítimas nas marginais Pinheiros e Tietê eram motociclistas / Grupo 1 de JornaisDa Redação

A Prefeitura de São Paulo proíbe a partir do próximo dia 13 a circulação de motocicletas nas vias centrais das marginais Pinheiros e Tietê, das 22h às 5h. A medida coincide com levantamento da Polícia Militar (PM) de que o número de acidentes com vítimas nas marginais aumentou em 56% no primeiro semestre deste ano em comparação ao mesmo período de 2016.

Os dados da PM, ligada ao Governo do Estado, mostram que 367 vítimas foram atendidas nas marginais ao longo dos meses de janeiro, fevereiro e março deste ano. Nos três primeiros meses de 2016, foram 234 casos. Pouco mais da metade foi registrada na Marginal Pinheiros, onde 40% dos acidentes ocorreram pela manhã, das 6h às 12h. Segundo o levantamento, 78% das vítimas, 288 pessoas, eram motociclistas.

Quanto aos acidentes com motos nas marginais, houve aumento de 67% no primeiro trimestre deste ano em relação ao mesmo período de 2016, com 172 vítimas. O trecho da Marginal Pinheiros que mais concentrou acidentes, no geral, foi entre as pontes Cidade Universitária e do Jaguaré, com 47 casos, dos quais 41 envolviam motos.

Velocidade

O aumento do número de acidentes divulgado pela PM também coincide com o retorno dos antigos limites de velocidade nas marginais Pinheiros e Tietê, prometido pelo prefeito João Doria durante campanha eleitoral no ano passado. Quando Doria assumiu a administração municipal, os limites nas pistas locais passaram de 50 km/h para 60 km/h; nas centrais, de 60 km/h para 70 km/h; e nas expressas, de 70 km/h para 90 km/h. Nas marginais Pinheiros e Tietê foram registradas seis mortes no primeiro trimestre deste ano – três em cada via –, enquanto em 2016 houve quatro fatalidades no mesmo período.

Nesta semana, durante lançamento da campanha “Maio Amarelo”, que consiste em ações voltadas à segurança viária na capital, o secretário municipal de Mobilidade e Transportes, Sérgio Avelleda, afirmou que não há evidência de que o aumento da velocidade seja a causa dos acidentes. “Volto a dizer, um dos números divulgados na semana passada indica aumento nos acidentes entre caminhões, e a velocidade dos caminhões não foi alterada”, declarou.

FECHAR

 
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
 
         
     


Gastronomia

Colunistas

Tecnologia