O Grupo 1 Edição Digital Grupo 1 Mobile Fale Conosco
Receba nossas notícias

26/05/2017

Presença de pernilongos deve diminuir na região

Publicado em 19/01/2017

A incidência de pernilongos nos bairros vizinhos ao Rio Pinheiros deve ser menor a partir deste domingo (22),

 
A incidência de pernilongos nos bairros vizinhos ao Rio Pinheiros deve ser menor a partir deste domingo (22), data estimada para que surta efeito a operação realizada na semana passada pela Prefeitura de São Paulo nas margens do trecho próximo à Usina de Traição, na zona sul.
O trabalho foi coordenado pela Secretária Municipal de Saúde, e a região da usina foi escolhida porque a Covisa (Coordenação de Vigilância em Saúde) identificou ali uma quantidade de larvas acima do normal. A força-tarefa contou com cerca de 80 agentes de saúde e 11 agentes das prefeituras regionais. 
Para o controle de formas imaturas dos pernilongos foi aplicado larvicida biológico granulado na margem superior leste do rio, no sentido Guarapiranga, partindo da usina. Já para o controle de insetos adultos foi realizada a aplicação de inseticida na vegetação das laterais do rio. Os agentes das prefeituras regionais também limparam o entorno do local.
A próxima etapa da ação contra os pernilongos – mosquitos cúlex – vai abranger os córregos que desaguam no Rio Pinheiros, além de áreas com ambiente aquático, que favorece a proliferação do inseto, como a Raia da USP. 
A iniciativa se soma às medidas adotadas regularmente pela administração municipal para o controle de mosquitos e também tem como objetivo eliminar focos do Aedes aegypti, transmissor da dengue, chikungunya e zika vírus. Essa é a primeira ação de uma grande campanha municipal contra as arboviroses. As prefeituras regionais da cidade também irão articular medidas conjuntas, como a limpeza de córregos e as operações cata-bagulho.
Nas últimas semanas, os pernilongos têm tirado o sono de moradores das regiões de Pinheiros, Lapa, Butantã e Santo Amaro. A ação realizada pela administração municipal nesta semana foi tomada após constantes reclamações. Um abaixo-assinado com mais de 9,3 mil adesões foi criado por munícipes para alertar as autoridades sobre o problema. 
Agentes da Sucen (Superintendência de Controle de Endemias), ligados ao Governo do Estado, farão visitas domiciliares em busca de criadouros do cúlex e do Aedes aegypti nos bairros da Lapa, Butantã, Cidade Ademar, Santo Amaro e Capela do Socorro. Eles irão orientar os moradores e verificar denúncias feitas pela população. No mesmo dia da força-tarefa nas margens do Rio Pinheiros, foi realizado trabalho de nebulização no bairro do Butantã. 
Aedes
Os agentes municipais também farão, neste ano, 4,5 milhões de visitas a imóveis residenciais para orientar a população e remover criadouros. Cerca de 80% dos focos de Aedes aegypti se encontram nas residências. Além disso, os moradores que denunciarem também receberão uma carta informando que a denúncia foi recebida e será verificada o quanto antes.
Conforme o Decreto 41.660, de 1º de fevereiro de 2002, técnicos de Saúde Ambiental poderão aplicar multas em residências e estabelecimentos que já foram orientados, notificados por carta, mas ainda não providenciaram a remoção imediata dos possíveis criadouros. Os valores variam entre R$ 180 e R$ 700.
As atuações de combate serão coordenadas pela Covisa e executadas de forma descentralizada pelas 26 Suvis (Supervisões de Vigilância em Saúde) espalhadas pela cidade de São Paulo.
Resultado de operação no Rio Pinheiros deve levar dez dias para aparecer, afirma Prefeitura /  Fábio Arantes – Secom 

FECHAR

 
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
 
         
     


Gastronomia

Colunistas

Tecnologia