O Grupo 1 Edição Digital Grupo 1 Mobile Fale Conosco
Receba nossas notícias

22/11/2017

Vila Madalena pode ganhar plano de segurança

Publicado em 20/07/2012

Sistema de vigilância abrangerá principais ruas da Vila Madalena

Noite de sábado. Uma das mais de 300 câmeras espalhadas pela Vila Madalena registra movimentação suspeita de um carro na Rua Aspiculeta. A imagem então é transmitida para uma central de monitoramento instalada numa casa do bairro, de onde um agente motorizado é enviado imediatamente ao local da possível ocorrência. Após alguns minutos, ele confirma que a situação não passa de um alarme falso, pois de dentro do veículo sai um grupo de amigos que pretende apenas divertir-se num dos inúmeros bares da região. Mas, caso fosse necessário interceptar qualquer ato criminoso, o que já não acontece há meses no bairro, a polícia seria acionada.

 

 

Rua Aspicuelta; projeto deve ser apresentado às policias Civil e Militar até o final do ano

Essa situação fictícia é o objetivo de um projeto de segurança privado que pode ser desenvolvido no bairro por meio da mobilização de proprietários de bares e restaurantes. “Nossa região vem sendo uma das mais visadas da cidade no que se refere a arrastões, não podemos ficar de braços cruzados esperando que o poder público resolva tudo, devemos nos organizar”, afirma o presidente da Sociedade Amigos de Vila Madalena (Savima), Cássio Calazans, apoiador do plano.

De acordo com o programa, as imagens não serão emitidas apenas para uma central de monitoramento, mas também para estabelecimentos e residências. “Todos saberão o que acontece no bairro por meio de um circuito fechado e de aparelhos móveis semelhantes a um celular”, afirma o consultor de tecnologia Jhonathas Coutinho, da Angel Security, empresa responsável pela execução do projeto.

A iniciativa ainda prevê cartazes fixados nas portas dos estabelecimentos para identificá-los como integrantes do plano de segurança, a fim de inibir ações criminosas. No caso de eventuais abordagens, um botão de pânico, disponível em uma espécie de chaveiro discreto junto ao corpo, poderá ser acionado por comerciantes ou moradores. “A polícia será encaminhada imediatamente ao local”, afirma Coutinho.

 

Segundo o presidente da Savima, a ideia deverá ser bancada por um grande patrocinador, que ganhará a simpatia de empresários, do público frequentador da Vila Madalena e dos moradores. “Em breve, num prazo estimado de 90 dias, o projeto terá seu anúncio oficial, com a presença de autoridades municipais e de órgãos da segurança pública, como as policias Civil e Militar. Pretendemos que esse planejamento vire realidade ainda neste ano”, afirma Cássio Calazans.

 

Diego Gouvêa

FECHAR

 
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
 
         
     


Gastronomia

Colunistas

Tecnologia