O Grupo 1 Edição Digital Grupo 1 Mobile Fale Conosco
Receba nossas notícias

22/11/2017

Equilíbrio de poder

Publicado em 18/09/2014

por Silvia Vinhas

Visualphotos.com O Brasil conseguiu se classificar para o Grupo Mundial da Copa Davis derrotando a Espanha. Tudo bem que o tênis espanhol estava sem Rafael Nadal, mas Thomaz Bellucci derrotou Roberto Bautista e foi determinante para essa conquista. O tenista brasileiro sofre com contusões, altos e baixos há muito tempo  e com essa vitória resgata uma confiança perdida. Bellucci não consegue emplacar e é cobrado a cada torneio. Sempre falta o algo mais, a força que não vem, o ponto perdido na hora errada. Dessa vez ele conseguiu se superar.

Desde Guga, o Brasil não se destaca no esporte. A falta de confiança traz distância, e o tênis não sobe no ranking de público e de renda. É preciso muito mais que uma classificação na Copa Davis para despertar quem sabe uma nova paixão.

Dizem que o ser humano só alcança a plenitude quando consegue equilibrar três pilares: o intelecto, o físico e o mental. Isso independe da prática esportiva ou não. No caso de Bellucci a maturidade emocional anda em marcha lenta. Quem sabe agora vai?

Do outro lado, Kaká, jogador do São Paulo, mostra que os três pilares da evolução e crescimento podem se equilibrar numa mesma pessoa de forma transparente. A cada bola, cada movimento, a cadência do atleta em campo lembra uma obra de arte. O craque está inteiro e corre em campo mostrando que é o dono da própria história. Intelectualmente brilhante, forma física impecável e a força do pensamento voltado à vitória. Sua experiência em campo contagia os companheiros e mostra que o capitão tem controle do navio.

Numa comparação interessante podemos observar um jovem craque de 17 anos que tem o físico mas ainda não está preparado intelectualmente e muito menos emocionalmente. Se ele não tiver uma equipe que supra essas duas deficiências, se perde em caminhos muito longe do sucesso. Se conseguir superar essa fase ganha experiência, mas o emocional ainda oscila. O controle das emoções, o equilíbrio emocional é um estágio que só vem bem mais tarde. E, às vezes, nem vem.

Kaká e Bellucci, o coletivo e o individual, dois tipos distintos de exigência emocional em busca da vitória e do sucesso. E a receita continua sendo a mesma, no esporte e na vida, vence quem tem mais força mental.

FECHAR

 
Divulgue sua empresa