O Grupo 1 Edição Digital Grupo 1 Mobile Fale Conosco
Receba nossas notícias

19/11/2017

Carnaval: Prefeitura estuda tirar grandes blocos da região

Publicado em 13/10/2017

Depois de tirar desfiles da Vila Madalena, administração municipal estuda transferir grandes blocos que estiveram no bairro de Pinheiros em 2017A partir de 2018, o Carnaval de rua da cidade será organizado pelas prefeituras regionais e não mais pela Secretaria Municipal de Cultura. Além dessa mudança, os grandes blocos que desfilaram nos últimos anos em regiões como Pinheiros poderão ser transferidos para áreas com menos residências.  

Segundo a gestão João Doria, a incumbência de gerenciar os cordões carnavalescos foi transferida para a Secretaria das Prefeituras Regionais porque a pasta tem melhor infraestrutura para organizar a fiscalização e o planejamento viário com a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego).

Quanto à transferência dos grandes blocos, a Prefeitura considera as avenidas 23 de Maio e Pedro Álvares Cabral, na zona sul, com potencial para receber os desfiles. Assim como em 2016, neste ano as duas vias localizadas nas imediações do Parque do Ibirapuera foram palco de grandes apresentações, como a do cantor e compositor Alceu Valença.

A mudança é mais uma tentativa da administração municipal de amenizar os efeitos gerados pelos grandes blocos, como acúmulo de lixo, urina nas calçadas e mudanças no trânsito. Muitos desses “megablocos” desfilam em vias próximas a áreas residenciais, como a Avenida Brigadeiro Faria Lima e a Rua dos Pinheiros, que atraíram mais de 1 milhão de foliões somente no Pré-Carnaval.  

Apesar da possível mudança no roteiro dos grandes cordões, os pequenos devem continuar a circular por bairros como Pinheiros. Ainda assim, moradores temem que suas ruas sejam utilizadas como rota constante de desfiles durante o Pré-Carnaval e o Carnaval.

Já na Vila Madalena, o prefeito João Doria declarou que há grande possibilidade de não haver desfiles em 2018. “Muito provavelmente, a Prefeitura não fará mais Carnaval de Rua na Vila Madalena. Não há condições para isso. A Vila Madalena fica muito machucada, muito afetada. Ali é um bairro eminentemente residencial, apesar de ter bares, restaurantes e cafés”, declarou.

Em 2017, a Prefeitura já havia reduzido o número de agremiações na Vila Madalena, transferindo algumas para Pinheiros. No entanto, alguns moradores dos locais para onde os desfiles foram transferidos se sentiram prejudicados e, em agosto, entregaram um abaixo-assinado à Prefeitura Regional de Pinheiros solicitando alterações nos itinerários.

Segundo os moradores, um dos locais que não tem condições de receber a festa é a Avenida Brigadeiro Faria Lima. Nesse caso, uma das vias analisadas como alternativa é a Marginal Pinheiros. Outro ponto questionado pelos moradores é a montagem de palcos para shows paralelos aos blocos no Largo da Batata. Eles alegam que esses eventos, promovidos diretamente pela Prefeitura, podem dificultar a dispersão do público na região.

Lei Rouanet

No último dia 28, em coletiva de imprensa, o vice-prefeito e secretário das Prefeituras Regionais, Bruno Covas, anunciou que os blocos paulistanos poderão captar recursos para promover desfiles em 2018 pela Lei Rouanet. Viabilizada pelo Ministério da Cultura (MinC), a legislação permite que empresas tenham impostos descontados por meio do financiamento de projetos musicais, peças de teatro e exposições. Dessa maneira, a administração municipal pretende diminuir o investimento de recursos próprios no Carnaval de Rua. Neste ano, a festa paulistana foi promovida com R$ 15 milhões disponibilizados por patrocinadores.

FECHAR

 
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
 
         
     


Gastronomia

Colunistas

Tecnologia