O Grupo 1 Edição Digital Grupo 1 Mobile Fale Conosco
Receba nossas notícias

22/09/2017

Dia & Noite

Publicado em 09/04/2017

Como as raposas conseguem entrar nos galinheiros?

É muito fácil, pois os galinheiros estão entregues às raposas. Estas, como são espertas, também sabem como entrar, é só subornar. O que ocorre no Tribunal de Contas do Rio de Janeiro: os Tribunais de Contas são responsáveis pela verificação da contabilidade da União, dos Estados e dos municípios. Mas a Polícia Federal, não acreditando nas contas desses tribunais, acionou o Ministério Público Federal. Ambos descobriram como as raposas entravam no galinheiro: os conselheiros do Tribunal cobravam propinas para ignorar irregularidades cometidas por empreiteiras e por empresas de ônibus no Estado. Dos sete conselheiros desse Tribunal, cinco foram presos (Oesp – 31/03/17).

Pecunia non olet (dinheiro não tem cheiro).

 

No Brasil, desemprego predomina entre pretos e pardos

A deterioração do mercado de trabalho penaliza mais a população negra e parda. A taxa de desemprego dos trabalhadores que se declaram da cor preta ficou em 14,4% no quarto trimestre de 2016. Os resultados são muito maiores que o da população branca (9,5%). A média nacional ficou em 12%. Já a renda média real recebida mensalmente pelas pessoas ocupadas no País foi estimada em R$ 2.043 no mesmo período. O rendimento dos brancos, diz Daniela Amorim (Oesp – fevereiro), alcançou R$ 2.660, quase o dobro do recebido por negros e pardos: em média R$ 1.461 e R$ 1.480, respectivamente.

 

O homem e a galinha                  

Durante a Revolução Francesa, antes das guilhotinas, na época em que as decapitações ainda eram feitas manualmente, quando o carrasco errava, as pessoas que conseguissem ficar de pé e descer do patíbulo poderiam se considerar livres. Parece que algumas tentavam se levantar sem a cabeça e caminhar alguns passos, mas logo caíam, para grande júbilo da multidão, claro.

Sobre isso, um cientista explica que, se grande quantidade de adrenalina chegar ao coração instantes antes da execução, o cérebro pode ser até certo ponto pré-programado, e os músculos funcionam normalmente. É o que acontece quando se decapita uma galinha, que pula sem a cabeça por alguns instantes.

 

Bradesco: “O mercado encontra soluções”

O Brasil é um país que precisa se reconstruir e se modernizar. A infraestrutura melhorou, mas ainda é precária. Está aí um dos nossos bônus de crescimento. A participação dos bancos dependerá do modelo de garantias a ser adotado. A liquidez do sistema é grande e não há nenhuma restrição com relação a clientes do porte de quem pode tocar obras de infraestrutura. A questão sempre é das garantias e o modelo de negócio. O descasamento dos prazos de funding pode ser resolvido. O mercado é criativo e encontra soluções (Luiz Carlos Trabuco Cappi, presidente do Bradesco – Oesp – 02/02/17).

 

O incauto que acompanha as ideias de outro mais esperto pode se dar mal

Sobre o ditado “galinha que acompanha pato morre afogada”. A galinha não sabe nadar, e o pato, sim. Daí vem o “pagar o pato”. Esse aforismo é um alarde, pois “a tributação favorece mais quem vive de juros do que trabalhadores e empresários” (Roberto Luis Troster – Oesp – 07/02/17).

 

 

 

FECHAR

 
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
 
         
     


Gastronomia

Colunistas

Tecnologia