O Grupo 1 Edição Digital Grupo 1 Mobile Fale Conosco
Receba nossas notícias

18/11/2017

Filmes - Destaques da semana

Publicado em 11/05/2017

Alien novamente banalizado

O primeiro Alien – um dos melhores filmes de terror de todos os tempos – foi banalizado ao longo da franquia de quase 40 anos, a exemplo deste novo fan service de aventura sem novidades, após as intrigantes questões sobre a origem da vida deixadas em Prometheus. Parece que Ridley Scott, diretor de clássicos como Gladiador, Thelma & Louise e Blade Runner, deixou todo o seu talento criativo no século passado, tornando-se um cineasta mediano e conservador. Alien: Covenant é totalmente previsível para um filme de ação, sem aquela sensação de isolamento e fobia dos filmes de terror. Digamos que é um Alien vs Predador melhorado. Ademais, os inúmeros tripulantes são personagens mal construídos, com exceção do excelente David (Michael Fassbender), que carrega o filme nas costas, deixando os aliens despercebidos. Na trama, os 17 tripulantes da gigantesca nave espacial Covenant encontram um planeta semelhante à Terra para acomodar os 2 mil passageiros. O planeta é habitado há 15 anos pelos dois sobreviventes da nave Prometheus. Assim como no prelúdio de 2012, eles são contaminados pelos esporos da famosa raça alienígena e salvos pelo androide encapuzado David, ao estilo Jedi.

Alien: Covenant (EUA, 2017, de Ridley Scott, Aventura, 122 min.) Nota: 2,0

 

Um novo 11 de Setembro em 19 de abril, Dia do Patriota.

Após interpretar um herói trabalhador em Horizonte Profundo: Desastre no Golfo, Mark Wahlberg protagoniza outra história real, repleta de cenas documentadas do ataque terrorista na Maratona de Boston, em 2013 – a mais famosa e antiga corrida de longa distância do mundo, atrás apenas da maratona olímpica, disputada pela primeira vez em 1896, em Atenas. As explosões deixaram três mortos e dezenas de mutilados, em cenas chocantes em close. Outra cena muito bem feita é a da perseguição dos policiais aos dois jovens terroristas muçulmanos, um combate desigual entre pistolas e metralhadoras e bombas.

O Dia do Atentado (Patriots day, EUA, 2016, de Peter Berg, com Michelle Monaghan, Melissa Benoist, Kevin Bacon, John Goodman e J.K. Simmons, 129 min., 14 anos) Nota: 2,5

 

Hermanos ingratos

Após receber o Prêmio Nobel de Literatura, Daniel Mantovani (Oscar Martínez) resolve visitar a pequena vila onde nasceu. Lá, o escritor enfrenta a crescente rejeição de seus habitantes, inicialmente fascinados com a visita. Há décadas, na Europa, seus ideais foram de encontro ao nacionalismo e ao egocentrismo dos compatriotas. Como acontece com tantos artistas em relação ao povo, o fascínio se transforma em desprezo por suas ideias e posições, especialmente ao conhecer melhor o conteúdo de seus romances, que retratam criticamente a vida da aldeia, confirmando a máxima “Ninguém é profeta em sua própria terra”.

O Cidadão Ilustre (El ciudadano ilustre, Argentina, 2016, de Gastón Duprat, Mariano Cohn, Comédia, 117 min., 12 anos) Nota: 4,0

 

Quem é essa garota?

Uma secretária rouba o carro do chefe para visitar uma cidade litorânea. Ao chegar, mesmo jurando nunca ter estado lá, descobre que todos a conhecem, mas seu maior problema é quando um corpo aparece no porta-malas, transformando-a na principal suspeita de um assassinato do qual nada sabe. A fogosa e descolada dama é uma mistura de Vivian Ward (personagem de Julia Roberts em Uma Linda Mulher) e Diana Prince (a Mulher-Maravilha dos anos 70). A modelo e atriz revelação Freya Mavor demonstra elegância no caminhar, e seu carisma entretém o espectador a fim de descobrir a causa dos estranhos lapsos de memória e flashes premonitórios. O problema está no desfecho mal resolvido e na fraca atuação dos inexpressivos personagens secundários.

Uma dama de óculos escuros com uma arma no carro (La dame dans l’auto avec des lunettes et un fusil, França, Bélgica, 2015, de Joann Sfar, 95 min., 14 anos) Nota: 3,0

 

A promessa

Durante os últimos dias do Império Otomano, o jornalista de guerra Chris (Christian Bale) conhece uma mulher da alta classe, Ana. Ele fica completamente apaixonado por ela, que também desperta sentimentos no estudante de medicina Mikael (Oscar Isaac). Ambos passam a disputar o amor da jovem.

The Promise (EUA, Espanha, 2016, de Terry George, 134 min., 16 anos)

 

Taego Ãwa

Os diretores Henrique e Marcela Borela encontraram na faculdade onde estudavam fitas VHS com imagens da tribo Ãwa. A dupla resolve levar esse material para a atual geração dos indígenas, revelando a evolução entre eles e a continuidade da luta pela manutenção de seu território.

(Brasil, 2016, de Henrique Borela, Marcela Borela, Documentário, 70 min., 10 anos)

FECHAR

 
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
 
         
     


Gastronomia

Colunistas

Tecnologia