O Grupo 1 Edição Digital Grupo 1 Mobile Fale Conosco
Receba nossas notícias

20/09/2017

Cinco dicas para o uso correto do repelente

Publicado em 03/02/2017

Alguns cuidados específicos com o uso do repelente devem ser tomados para que o produto tenha ação efetiva e previna doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, além do incômodo causado por demais

 
 
Alguns cuidados específicos com o uso do repelente devem ser tomados para que o produto tenha ação efetiva e previna doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, além do incômodo causado por demais mosquitos e pernilongos durante a época de calor intenso. As dicas são da Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC).
1. O uso do repelente não inibe a proteção solar. “Passe o filtro na pele. Depois de absorvido, o repelente pode ser aplicado no máximo três vezes ao dia, a depender da exposição e do suor. Evite o uso excessivo, pois o produto tem substâncias tóxicas que podem causar danos à saúde. Antes de dormir, tome banho com sabonete para que o produto seja eliminado da pele. Não é indicado o uso em casos de machucado, principalmente se a ferida estiver aberta, pois a substância pode agravar o estado e atrasar a cicatrização”, alerta Rodrigo Lima, diretor da SBMFC.
2. Após a aplicação, é imprescindível lavar as mãos para que não haja contato da substância com a boca e os olhos. Assim como o nariz, os olhos devem ser protegidos no momento da aplicação no rosto, que deve receber a proteção em locais ventilados para que não ocorra acúmulo da substância no ambiente. 
3. Em bebês de até seis meses, o uso de repelente não é recomendado – não há nenhum produto registrado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que assegure o uso nessa faixa etária. As orientações são proteger a criança com roupas leves, porém compridas, como mangas e calças, além de, na hora de dormir ou descansar, utilizar mosqueteiro. É importante também que os pais ou cuidadores fiquem sempre atentos ao ambiente da criança. “Antes de colocar a criança para dormir, verifique se há algum inseto nos colchões, lençóis, travesseiros e em áreas como cantos de parede e embaixo do berço”, explica Lima.
4. Os idosos podem utilizar o produto normalmente, porém com cuidado na aplicação, devido à fragilidade da pele.
5. Mulheres grávidas também podem e devem fazer uso do repelente, aplicando-o nas partes expostas; nas áreas cobertas pela roupa não há necessidade de aplicação.

FECHAR

 
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
 
         
     


Gastronomia

Colunistas

Tecnologia