O Grupo 1 Edição Digital Grupo 1 Mobile Fale Conosco
Receba nossas notícias

18/01/2018

Cuidado com a comilança de final de ano

Publicado em 15/12/2017

Como aliar as festas de fim de ano a uma alimentação saudável?

Chega o final de ano e acontecem inúmeras festas. Não só o Natal em família e o Réveillon, mas também os happy hours das empresas, os amigos secretos com os amigos... Como aliar tudo isso a uma alimentação saudável?

Pixabay

A Gazeta de Pinheiros – Grupo 1 de Jornais conversou com Sabina Donadelli, nutricionista e membro da Academia Brasileira de Gastronomia, para reunir dicas sobre como se portar neste final de ano.

Gazeta de Pinheiros – Como se preparar para a “comilança” de fim de ano? Nos dias anteriores deve haver algum cuidado? E ao longo do dia?

Sabina Donadelli – As dicas são: capriche na atividade física, mesmo nos dias de festa; capriche na água; se a festa é mais tarde, tome um shake (natureba, tipo um suco com fibras e gordura boa) antes de ir.

GP – Passado o festejo, como equacionar possíveis exageros?

SD – A ideia é voltar para o cardápio habitual, aquele preparado pela nutricionista e que você seguiu o ano todo. Assim, possíveis exageros serão absorvidos sem grandes sacrifícios.

GP – Em relação a bebidas alcoólicas, qual é a medida adequada?

SD – Não há medida adequada, o ideal é não beber. Mas, já que não somos de ferro, diria que a meta é diminuir sempre...

GP – O que é mais indicado para compor o prato na ceia? E em quais quantidades?

SD – Penso que em dia de festa é melhor se concentrar na qualidade e não na quantidade... Se você come mais salada, frutas e castanhas, pode “exagerar” sem muitas consequências no dia seguinte. É possível até tomar uma bebidinha... Já se jogar nos bolos, massas, tortas e carnes é mais complicado.

GP – Na ceia, as pessoas costumam comer além do habitual. Isso acarreta algum problema?

SD – Depende... quem “fez a lição de casa” o ano todo e está com o metabolismo em ordem, ainda que tenha peso a perder, poderá retomar o “bom caminho” sem grandes prejuízos, mesmo exagerando um pouco nas festas. Já para quem passou o ano em dietas muito restritivas (Ravena, Ducan, No Carb, HCG, Pronokal, Astronautas e sabe-se lá mais o quê), a chance de catástrofe é enorme. Isso porque o metabolismo está lento e, na hora em que “liberar geral”, o corpo vai reter tudo e mais alguma coisa. O problema é que a pessoa ganha tudo o que perdeu em poucos dias e um sobrepeso extra. Depois, para tirar isso é ainda mais difícil.

Entrevista: Rodrigo Luiz Vianna

FECHAR

 
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
 
         
     


Gastronomia

Colunistas

Tecnologia